Menu
Cabedelo, Paraíba, BR
Cabedelo, Paraíba, BR
Não será nossa primeira vez em Cabedelo. Passamos uma temporada em Cabedo, após a Refeno…

Cabedelo, Paraíba, BR

Não será nossa primeira vez em Cabedelo. Passamos uma temporada em Cabedo, após a Refeno de 2010. Foram momentos maravilhosos!

A movimentação no cais da Marina foi intenso. Alguns chegando de barco, outros de carro. Tivemos duas gratas surpresas durante a estadia. Reencontramos a tripulação do Karma (Joan e Graham) e a família Caruarú.

O Karma estava de passagem, se preparando para a travessia do Atlântico. Mesmo assim as tarefas de bordo não nos impediram de algumas comemorações, como o aniversário da Joane, ao pôr do sol no Jacaré. Creio que ela curtiu o programa, que é bem diferente do que estão acostumados na Irlanda. Ela gargalhava a cada mudança brusca do ritmo do forró, que é bem intenso e animado. O Bolero de Ravel, tocado no sax pelo Jurandi, deixou o casal encantado.

Aniversário da Junie

Não creio que os veremos na costa brasileira novamente, mas certamente os reencontraremos em outros mares. E, como mais um ato de grande companheirismo e colaboração, Graham colocou uma nova peça no mastro para garantir o ângulo da nossa adriça da genoa.

A visita da família Caruarú (Carú, Claudia, Clara e Luíza) nos garantiu ótimos momentos. Foi com um prazer arretado da porra que passamos o feriado com essa turma. Não podemos deixar de contar que ele, morador de Recife (que é logo ali), não achou de cara a Marina, apesar das instruções hiper, super detalhadas do Gui. Culpa nossa que até aquele momento, não fosse o CD com o qual o Carú nos presenteou, não conhecíamos a técnica dos matutos para indicar o caminho de suas casas aos visitantes. Clique qui e escute. Vai valer a pena! É incrível!

Família Carú no Zíngaro

Além disso, a minha capacidade incontestável para trocar nomes nos levou até Lucena, município vizinho, onde eu acreditava que conheceríamos as praias de Coqueirinhos e Tambaba.

De qualquer forma valeu o passeio, atravessamos o Rio Paraíba de balsa (vamos ficar profissionais no assunto) e andamos (muito, mas felizmente de carro) até chegar a praia da Gameleira.

Família do Carú

A praia Gameleira é muito bonita, e fomos privilegiados com os mergulhos dos golfinhos que vivem por ali. Um inesperado piruliteiro fez a alegria da Luíza.

Família Caruarú em Gameleira

Lucena, assim como todo o nordeste, é muito bonito. É daqui que sai o “barcônibus”, uma invenção paraibana. Adaptaram uma carroceria de ônibus em substituição ao convés do barco. Acreditem, ou não, dizem que a engenhoca tem capacidade para 80 passageiros. Pasmou?

Barcônibus

Ilha de Lençóis, Maranhão, BR

Serão 800 milhas, desde Cabedelo.

Todos dizem ser IMPERDÍVEL! Você também vai acreditar depois de assistir ao vídeo “Sebastianos: os narradores da Ilha de Lençóis”, de Claudio Rodrigues.

Então, vamos lá desfrutar os mistérios de Dom Sebastião e as riquezas do lugar, a começar pela população que dizem ser muito hospitaleira. Os mariscos, os vôngoles, os caranguejos, os camarões no botequim local são fartos. Acredito que caçar siris com pescadores será um experiência incrível.

Água, só na cacimba!

Atenção, todas as crianças vão querer conhecer seu barco e “merendar”! 😉

É importante tomar cuidado com a maré ao sair pra passear, pois a amplitude é muito grande.

Tobago
Tobago
Serão aproximadamente 1400 milhas, desde a Ilha de Lençóis. Depois de muita pesquisa e conversa…

Tobago

Serão aproximadamente 1400 milhas, desde a Ilha de Lençóis.

Depois de muita pesquisa e conversa com outros velejadores, temos algumas idéias sobre Tobago.

Pretendemos fazer o primeiro fundeio em Charloteville, que é uma cidade muito tranquila, com população bem gentil. Parece um lugar muito bom para boas caminhadas, para desfrutar da paisagem que é deslumbrante e relaxar na praia (Pirates Bay).  Dizem que o passeio a cascata Argyle  é de tirar o fôlego.

A dica é para fundearmos mais próximo da costeira, a bombordo de quem entra. Parece que vamos fundear em grama.

Estando lá, pretendemos pegar uma carona ou ônibus para Scarborough (a capital) e conhecer o parque e fazer supermercado. Dizem que o caminho é lindo!

Na Ilha qualquer motorista faz a vez de taxista. A moeda usada é o dólar de Trinidad e Tobago: “TT$”. Ele foi estabelecido em 1964, em substituição ao dólar das Índias Britânicas Ocidentais.

É importante fazer imigração assim que chegar, e a cada mudança de ancoragem deve-se comunicar ao Customs.

De Charloteville devemos ir a Store Bay / Milford Bay, no lado extremo da Ilha.

Por enquanto é o que temos previsto para Tobago. Se você tiver alguma dica para compartilhar, fique super a vontade para nos escrever…

Vamos ficar de olho no Calendário de Eventos para tirar o maior proveito da cultura local, participando dos Festivais em Tobago.